10 dicas para sobreviver aos gastos do início do ano

Pessoas preocupadas com dívidas
Nem bem o ano começou e o 13º salário já acabou, abduzido pelas despesas de IPVA, IPTU, material e uniforme escolar, matrícula e outras despesas.
Sabendo da dificuldade das pessoas em controlar suas finanças no início de ano, a Fundação Procon-SP fez uma série de sugestões que o Portal do Pavini organizou em dez ações práticas para evitar o superendividamento.
1 – Organize suas contas: organização e controle são atitudes fundamentais para quem quer evitar o endividamento. Liste detalhadamente todos seus créditos (salário, rendimentos extras, colaboração de familiares, aplicações, etc.) e suas despesas cotidianas (transporte, alimentação, contas de consumo, impostos e outros gastos). Não se esquecendo das contas de início de ano.
2 – Planeje os gastos: elabore um plano para controlar todas as despesas. Acompanhe diariamente o saldo bancário e despesas pagas no cartão de crédito.
3 – Economize de grão em grão: em todas as ações, procure sempre uma oportunidade de economizar, mesmo em hábitos diários como utilização de energia elétrica, telefone, uso do carro, entre outros.
4 – Encapou, tá novo: na compra do material escolar verifique quais os itens que restaram do período letivo anterior e avalie a possibilidade de reaproveitá-los.
5 – Gaste sola de sapato: faça uma pesquisa de preços em diferentes lojas de material escolar. Levantamento do Procon-SP constatou diferença superior a 450% no preço de um mesmo produto. Veja aqui a pesquisa.
6 – Resista às tentações: o começo de ano também é época de liquidações. São saldões que trazem um bombardeio de ofertas e publicidades como “leve agora e pague só depois do carnaval”. A tentação é grande. Mas é importante resistir, adquirindo apenas aquilo que é realmente necessário e que não comprometa seu orçamento.
7 – Pechinche e pague à vista: se for adquirir algum produto, pergunte quais são as opções de pagamento oferecidas pela loja. A melhor opção é o pagamento à vista, pois o consumidor não fica com o orçamento comprometido nos próximos meses. Se não for possível pagar à vista e a ideia for fazer um financiamento, leia o contrato com atenção. A loja é obrigada a informar os juros cobrados, as taxas embutidas e o total da compra a prazo.
8 – Abra o jogo com o banqueiro: se já começou o ano com dívidas, o importante é evitar fazer novas e tentar regularizar a situação. Tente negociá-las diretamente com os credores ou informe-se sobre a existências de feirões de conciliação em sua região.
9 – Livre-se do cartão e do cheque especial: se tiver algum dinheiro aplicado, avalie a possibilidade de utilizá-lo para quitação das dívidas e dê prioridade para as que têm os juros mais altos (cartão de crédito e cheque especial, por exemplo).
10 – Preto no branco: ao firmar um acordo de renegociação ou obter a quitação de uma dívida, mantenha tudo bem documentado e providencie a regularização da situação perante os cadastros de inadimplentes.
Tecnologia do Blogger.