GOVERNO DA ÇEGURANSSA ALCAÇUZ

Alcaçuz é o maior presídio do Estado do Rio Grande do Norte e foi construído em uma área de dunas há 19 anos atrás.

Na entrada do presídio existe a parte frontal onde os agentes das forças de segurança trabalham e tem uma péssima e precária estrutura para conseguirem trabalhar.

Um pouco depois dessa área tem o chamado Pavilhão médico que ganhou esse nome por atendimentos médicos ali serem constantes anteriormente.

Nesse Pavilhão ficam os presos que trabalham na padaria e na lavanderia existentes na penitenciária, (por exemplo) e para cada dia 03 dias de trabalho se reduz em 01 dia a pena dos presos.

Nesse setor próximo a entrada temos o menor número de presos e eles não estão ligados aos presos das facções do PCC nem do Sindicato do RN.

Após o setor do Pavilhão médico existe uma casa de gás, uma espécie de casa de máquinas que leva e armazena gás dentre outras máquinas que servem pra o funcionamento de toda Alcaçuz.

ENTENDA MAIS:

Um pouco depois dessa parte da frente composta pela estrutura do presídio desde as dependências iniciais até onde os presos trabalham é a área de todos os pavilhões e antes dos confrontos eram divididos assim:

Pavilhão 1: Sindicato do RN

Pavilhão 2: Sindicato do RN

Pavilhão 3: Antes dos confrontos de 2017 era tido como NEUTRO mais agora o Pavilhão 3 se juntou com o Pavilhão 5 que são dos membros do PCC que estão presos no RN

Pavilhão 4: Sindicato do RN

Pavilhao 5: O Pavilhão do PCC

O Sindicato do RN é uma facção local formada no próprio Rio Grande do Norte.
Já o PCC é conhecido como Primeiro Comando da Capital, criado em 1993 no Estado de São Paulo por Marco Camacho - O Marcola - dentre outros fundadores.

O PCC como pode ser visto acima sempre esteve em menor número no RN.

Porém com homens muito bem articulados e mais preparados como o conhecido detento Paulo Fuzil dentre outros líderes do PCC que estão no Rio Grande do Norte convenceram os presos do Pavilhão 3 para se juntarem aos presos do Pavilhão 5 para dessa forma entrarem em confronto com o Pavilhão 4 que justamente estava no meio entre os dois pavilhões 3 e 5.

Aproveitando o dia e a hora do momento das visitas o pessoal do PCC compostos pelo Pavilhão 5 em conjunto com os membros do Pavilhão 3 se rebelaram, tomaram armas e praticamente acabaram com o Pavilhão 4 onde quem não morreu de alguma forma escapou.

Mortes bárbaras aconteceram de todas as formas possíveis.

As cenas todos do Brasil ja conhecem pois os vídeos viralizaram de uma forma sem igual e não adianta nenhum tipo de declaração mentirosa ou maquiagem governamental.

Uma verdadeira matança generalizada entre os presos aconteceu e de forma brutal.

Os presos do Pavilhão 5 estão bem armados e apesar de menor número conseguiram acabar com o Pavilhão 4.

No confronto os presos do PCC e seus aliados além de matarem os outros tomaram armas que estavam também em posse dos outros presos nos Pavilhões.

Agora estas armas estão em poderio do Pavilhão 5 do PCC e dos seus aliados que eram do Pavilhão 3 e que nesse momento formam um bando de cerca de 300 a 400 homens todos juntos.

Ja no Pavilhão 1 e 2 ainda existe uma pequena maioria com números em torno de 500 homens todos ligados a facção do Sindicato do RN segundo informações de pessoas que trabalham há muitos anos no presídio.

Nesse pavilhão também existem armas caseiras.

Tiros foram dados entre eles para intimidação e demonstração de poder e verdadeiras zonas de guerras estão sendo estabelecidas e os presos estão se estudando observando os outros pelo telhado dos pavilhões aguardando um novo confronto.

Nos confrontos tiveram inúmeras mortes dos dois lados, tanto do Sindicato do RN quanto do PCC.

Só que nessa disputa  criminosa ocorrida nos últimos dias de 2017 o Sindicato do RN levou a pior.

Após o confronto histórico que resultou em várias mortes de ambos os lados uma negociacão foi estabelecida sem sucesso pelo governo do RN onde os membros do PCC que eram do Pavilhão 5 e os seus aliados do Pavilhão 3 zombaram dos negociadores do governo e fizeram uma barricada estabelecendo os limites que as autoridades poderiam ir dentro do presídio de Alcaçuz nas proximidades das áreas do Pavilhão 4 e 5.

O controle interno dos pavilhões do presídio ainda são dos presos.

Os presos informaram aos negociadores que o PCC tinha homens para negociar de igual pra igual até com o governador e que qualquer investida que seja tentada pelo Sindicato do RN ou pela Polícia Militar contra a área delimitada por eles os mesmos poderiam até perder a guerra mais garantem que as baixas seriam de todos os lados envolvidos e estão exigindo a saída do Sindicato do RN dos presídios de Alcaçuz e também a presença de vários integrantes do PCC que estão em outros presídios de segurança máxima como o presídio federal de Mossoró.

Hoje o Pavilhão 3 e o Pavilhão 4 são dois grandes locais com os portões abertos e sem ninguém dentro.

Existem bastante indícios de presos mortos escondidos dentro das fossas nesses locais e também nas fossas do Pavilhão 5 onde o poder público ainda nem chegou perto.

Nos telhados bandeiras foram colocadas como forma de estabelecerem território do PCC e do Sindicato do RN e os presos se revezam nos telhados em verdadeiros quartos de horas parecidos com estratégias militares com revezamentos dinâmicos o tempo todo.

Existem túneis sendo cavados e baldes de areia sendo retirados aos montes de forma planejada, orquestrada e cadenciada. Tudo isso está acontecendo dentro dos pavilhões durante toda o dia e durante toda a madrugada.

O trabalho e a tensão em Alcaçuz é uma constante.

Os presos foram torturados.

Os presos foram decaptados.

Os presos foram despedaçados.

Os Presos foram queimados.

Vários presos foram deixados em pequenos pedaços e vários pedaços de presos e de órgãos foram jogados nas fossas, além de terem sidos juntados aos montes para também serem queimados e enterrados nas areias e nos buracos por todo o presídio conhecido como QUEIJO SUÍÇO.

Por isso nao se sabe um número real ainda de mortos e fugitivos.

Os números são bem maiores do que os divulgados em todos os sentidos.

É mais cômodo para o Estado dizer que os presos fugiram e que ninguém sabe e ninguém viu do que dizer que muitos deles morreram.

Todos os dias as pessoas  que moram no Estado do Rio Grande do Norte como um todo tentam saber do governo reais informações e o que se vê é uma tentativa do governo de maquiar os números que devem ultrapassar centenas para não causar impacto social mundial.

O governo insiste em dizer que está tudo muito bom ou que está tudo dentro do controle ou de uma total normalidade entretanto ninguém acredita nisso.

Secretários e seus colegas não querem perder suas gordas gratificações, além do conforto de estarem temporariamente em cargos que os beneficiam financeiramente com o comando, sem contar os inúmeros cargos comissionados que são muitos abarrotando todas as salas desde as chefias de gabinete até as funções mais simples por todo o governo.

Fazem o que for determinado e dizem o que mandam dizer.

Por isso muitos são chamado de babões da atual gestão.

Pessoas sem opinião própria que estão dispostas a tudo para se beneficiarem da máquina estatal realizando muitas vezes procedimentos errados ou fingindo que nada está acontecendo.

Vejam o tamanho da profundidade do buraco e vejam que com certeza o buraco é mais embaixo do que o da pra ver.

As pessoas do povo que ali trabalham diariamente acabando com seus quadros de saúde são policiais militares de todas as unidades do Estado, bombeiros, agentes públicos de diversos seguimentos como do ITEP que são verdadeiros heróis pois fazem o seu trabalho com toda a falta de estrutura física e adversidade possível estabelecida pelo governo que poderiam ser resolvidas mais que entretanto nao saem do papel, isso sem contar que todos esses profissionais estão ainda como todo funcionalismo público do RN recebendo seus salários atrasados por mais de 01 ano seguido.

Vários colegas policiais, bombeiros e agentes se revezam exaustivamente durante 24 horas no entorno do presídio e nas guaritas gastando dinheiro com alimentação e gasolina do próprio bolso.

Os guariteiros ficam 03 horas em cada guarita com 03 horas de descanso.

As guaritas são insalubres com tijolos e rebocos despedaçados caindo aos pedaços sem proteção para a chuva ou nada do tipo.


Um verdadeiro descaso ao céu aberto e ao relento.

Lógico que em todo lugar existem as maçãs podres mais a grande maioria que ali trabalham são de homens de bem massacrados por esse covarde sistema público e que muitas vezes levam a culpa pela falta de envolvimento do poder público que pode resolver o problema com medidas eficazes mas que fica empurrando o problema com a barriga.

É bem mais fácil o poder público culpar o guariteiro ou os agentes do que assumirem seus proprios erros de gestão.

O governo que está em curso se tornaram verdadeiros desesperados como baratas tontas tentando remediar a barbaridade que já se iniciou e que ainda continua.

Nesse momento o Brasil e o mundo estão voltados para o Rio Grande do Norte.
O cenário atual é manchete constante nos Estados Unidos, na Europa e em todo o mundo.

o New York Times e a CNN além de centenas de grandes veículos de comunicação acompanham atentamente todos os acontecimentos.


Para Reflexão

Será que o Governo da Çeguranssa está cumprindo com o que prometeu em campanha e durante o começo do seu governo?

Você que está lendo e que tem seus familiares no RN se sente seguro?

Lembram dos discursos iniciais em 2015 quando o governador disse em público várias vezes que tinha o sonho de fazer o Rio Grande do Norte melhor e também que se todos se unissem seria possível fazer isso pois nós seríamos capazes?

E o Governo é capaz de se unir com seu funcionalismo público sem mentiras ou contradições?

O governo é capaz de tratar os funcionários públicos sem os prejudicar?
Como falar de união pagando salários dos seus servidores atrasados por mais de 01 ano seguido?

Como falar de união se só alguns são escolhidos para fazerem tudo que querem e os outros são massacrados e penalizados com cargas exaustivas e situações degradantes e vexatórias?

Porque de 2015 pra cá quando aconteceram os primeiros quebras quebras nas celas não foram realizadas efetivas reformas para os presos não ficarem soltos, reinando como estão hoje?

Porque o Exército através do Batalhão de Engenharia e Combate não foi acionado para fazer as reformas nos presídios do RN tendo em vista que tem os homens mais indicados pela postura e integridade profissinonal além do ótimo trabalho satisfatório e acelerado que desempenham sempre num pequeno espaço reduzido de tempo se tornando melhor do que muitas empresas privadas?

Porque Milhões foram gastos pra nada?

Porque aconteceram apenas reformas aquém do esperado e ainda houveram  destruição queimando os recursos públicos?

Porque não temos a ajuda de quem realmente pode ajudar e porque reformas efeticazes não existem?

Aonde é que está a promessa de construção de novos presídios em outras cidades do Estado que iriam desafogar as superlotações?

Como pode evoluir sem ser para pior essa situação de abandono do poder público?

Aguardamos as respostas do grande GOVERNO DA ÇEGURANSSA e dos seus "parceiros".

Emquanto isso todo o povo do Rio Grande do Norte e seus funcionários públicos padecem aguardando melhoras divinas pois é somente nisso que da pra crer no momento.

Tenhamos FÉ EM DEUS e nos agentes das forças de segurança que são eles que por 24 horas se revezam no combate do crime e seguram a situação que está insustentável pois acreditar nesse governo está bastante difícil.

TEXTO RETIRADO DO GRUPO RADAR WATSAP
AUTOR DESCONHECIDO COM CONHECIMENTO DE CAUSA
Tecnologia do Blogger.