“PIOR SITUAÇÃO QUE O EMPRESÁRIO PASSA É TER QUE DEMITIR”, AFIRMA SÉRGIO CIRNE

sérgio cirne
Em meio à polêmica da proposta do governo do peemedebista Michel Temer em realizar reformas no setor trabalhista do país, os empresários do Rio Grande do Norte estão se manifestando a todo momento sobre a aprovação do texto-base do projeto, realizada nesta quinta-feira 27 na Câmara dos Deputados, em Brasília.
À reportagem do Agora Jornal, o presidente do Sindicato do Comércio Atacadista do Rio Grande do Norte, Sérgio Roberto de Medeiros Cirne, falou sobre o fato do ‘primeiro obstáculo’ para a aprovação da reforma ter sido superado e acredita que, caso a proposta continue avançando, ela representará um grande avanço para o setor empresarial de todo país.
“Se aprovada definitivamente, vai ser um grande passo pra nós estimularmos a geração do emprego. Atualmente estamos com dificuldades para contratar, as vezes não sabemos como demitir e acaba ficando algo oneroso para as empresas. A partir do momento que a reforma for aprovada, nós vamos ter mais tranquilidade”, disse Cirne.
“O primeiro obstáculo já foi superado e vejo a reforma como uma proposta importante para o setor econômico. Muita gente não sabe, mas umas das piores situações que o empresário passa é ter que demitir. Queremos sempre fazer o contrário: estar contratando. Até porque admissões representam um consequente crescimento para todas as empresas”, complementou.
Questionado sobre se a recessão econômica vivida no Brasil desde meados de 2015 está atrapalhando o setor atacadista potiguar, Sérgio foi sincero ao dizer que não. Para ele, a luta constante do empresariado do setor fez com que a crise não chegasse de maneira tão cruel para a categoria, que soube se portar bem durante o período.
“O setor atacadista regional vem conseguindo manter suas arrecadações apesar de tudo que está acontecendo. Pelo menos no Rio Grande do Norte nós não sentimos muito essa crise. Todavia, este resultado é consequência de muita luta do nosso setor. Estamos buscando constantemente o progresso para nos resguardar de qualquer problema que possa acontecer no país”, avaliou.
APROVAÇÃO NA CÂMARA
O plenário da Câmara dos Deputados aprovou a reforma trabalhista na madrugada desta quinta-feira 27, após a rejeição de dez destaques apresentados pelos partidos de oposição e de partidos da base aliada que pretendiam modificar pontos do projeto (PL 6.786/16) aprovado na última quarta-feira 26.

Os outros destaques que seriam votados nesta quinta-feira foram retirados e o texto segue para o Senado. A sessão que aprovou a reforma foi aberta na manhã dessa quarta-feira e foi encerrada às 2h06.
A aprovação da reforma foi possível após um acordo entre o líder do governo e de alguns partidos de oposição. Pela proposta, a oposição retirou os destaques que seriam votados e, em troca, se comprometeu a não obstruir a votação da Medida Provisória (MP) 752/16, que cria regras para a prorrogação e relicitação de contratos de concessões de ferrovias, rodovias e aeroportos. A MP tranca a pauta impedindo a análise de outras matérias em sessões ordinárias.
AgoraRN
Tecnologia do Blogger.