Menina de 12 anos é dopada e estuprada em hotel de Várzea Grande

celular.jpg
Uma menina de 12 anos, moradora de Poconé (102 km de Cuiabá) , foi estuprada num hotel em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá. De acordo com a Polícia Judiciária Civil (PJC) ela veio ao município se encontrar com o suspeito, que ainda está foragido. O crime ocorreu na última sexta-feira (2).
De acordo com a PJC, o homem, de mais de 30 anos, mantinha contato com a garota há vários meses por meio de ligações e mensagens pelo celular. 
Segundo informações, ela foi levada a um shopping em Cuiabá na última sexta-feira pelo suspeito. Em seguida, eles foram a um hotel na cidade de Várzea Grande, onde o criminoso teria feito um suco ingerido pela criança, que começou a sentir tonturas.
"Depois do suco, ela ficou desacordada e disse que não se recorda de nada que aconteceu. Ela não se recorda do abuso sexual, que ocorreu enquanto ela estava desacordada. Quando acordou, por volta das 21h, passou a vomitar muito, não conseguia ficar em pé e o suspeito, então, a colocou em um táxi e a levou de volta para Poconé", afirmou a investigadora da PJC, Walkiria Filipadi Corrêa.
A menina foi encontrada pela irmã na calçada da casa onde mora com o avô, em Poconé. Ela suspeitou das condições da garota e acionou a Polícia Militar, sendo encaminhada ao pronto-socorro municipal. Um laudo médico confirmou o abuso.
O Conselho Tutelar e a PJC foram acionados e levaram a garota ao Instituto Médico Legal (IML) para exames. Ela está internada no Hospital Júlio Muller, em Cuiabá, acompanhada pela mãe. 
"A família é muito humilde, a mãe fica em uma fazenda no Pantanal, ela mora com o avô. No celular dela, vimos várias conversas que ela havia mantido com o suspeito. Ele prometia muita coisa, falava que ia levar ela para a capital, dar presente, levá-la aos shoppings", disse a investigadora.
Num relato feito pela vítima a investigadora no sábado (3), a garota afirmou que o homem era do Paraná e que prestava serviços nos shoppings da Capital. A policial disse ainda que o taxista que o levou de Poconé para Cuiabá deixou o criminoso na Rodoviária. Ele chegou a se hospedar num hotel, mas quando a PJC chegou ele já havia ido embora. Walkiria Corrêa afirmou que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi informada. A suspeita é de que o homem esteja no interior do Estado.O boletim de ocorrência feito pela irmã da vítima atesta que a relação dos dois tinha o consentimento da mãe
Tecnologia do Blogger.