Policiais Militares em desvio de função no sistema prisional voltam aos quartéis operacionais


Após o movimento denominado Segurança Com Segurança deflagrado por militares no final do ano passado cobrando melhores condições de trabalho que durou 23 dias com repercussão nacional e internacional, eis que nesta semana parte do efetivo policial militar que prestava serviço ao sistema prisional começou a ser devolvido aos quartéis operacionais da corporação, como na Cadeia Pública de Mossoró. Com o acréscimo no efetivo os comandantes poderão recompor suas guardas, conceder direito de férias aos policiais e ainda aumentar o número de guarnições no policiamento ostensivo para atendimento direto à população.

A medida ocorre após o movimento e depois de um longo processo de reivindicação desencadeado pelo presidente da Associação de Praças da Polícia Militar de Mossoró e Região, Cabo Tony Fernandes. Ele levou o pleito aos comandantes de batalhões, comandante geral, secretária de segurança e ao próprio governador Robinson Faria durante uma reunião na capital, ocasião em que o dirigente fez um apelo mostrando quão grave era a situação de Mossoró, município onde a violência se alastrava e parte do efetivo ostensivo ainda era remanejado para guarda dos presídios. 

O retorno aos quartéis era um anseio dos próprios PMs que reclamavam das condições de trabalho insalubres e da carga excessiva durante o serviço como sentinela, chegando a trabalhar 4 horas ininterruptas nas guaritas. Logo, o fato se concretiza como mais uma vitória da mobilização realizada pela categoria que também já alcançou prioridade no pagamento salarial (para ativos e inativos), efetivação de promoções, novas viaturas, majoração do valor da diária operacional, implantação de retroativos, início do pagamento do 13º salário, entre outros pontos que avançam. 

A APRAM agradece o empenho e atenção das autoridades envolvidas por iniciar este processo por Mossoró, sobretudo ao comandante do 2ºBPM, Major Maximiliano, que inclusive encaminhou relatório com todas as dificuldades enfrentadas em sua unidade em decorrência da falta de efetivo, ao comandante geral, Coronel Osmar e à secretária Sheila Freitas que sempre foram atenciosos e solícitos quando acionados pela direção desta entidade representativa. Aos associados a entidade reafirma o compromisso de continuar lutando por direitos e valorização profissional. 

Assessoria de Comunicação APRAM
Tecnologia do Blogger.