Preso morto em Alcaçuz teria participado de destruição na unidade em 2017

Hugo de Medeiros Viana, conhecido como Playboy. Esse é o nome (e o apelido) do preso morto na manhã deste domingo, 29, na Penitenciária Estadual de Alcaçuz. A identidade do preso foi confirmada pela assessoria de comunicação da Secretaria Estadual de Justiça e Cidadania (Sejuc).
Segundo a pasta, Hugo de Medeiros estava na unidade desde dezembro de 2017 e cumpria pena por tráfico de drogas. “O tumulto foi controlado pelos agentes penitenciários e 16 presos envolvidos foram identificados, além de três possíveis responsáveis pela morte do interno: George da Silva Paulino, Luiz Antônio Firmino e Thiago Henrique Paulino da Silva”, afirmou a Sejuc por meio da nota.
Ainda de acordo com a Secretaria, a direção da Penitenciária de Alcaçuz já tomou todas as medidas necessárias para o controle da situação e vai apurar as responsabilidades. “As circunstâncias da morte serão investigadas pela Polícia Civil e só o laudo do Instituto técnico poderá determinar a real causa da morte”, acrescentou a nota.
Na internet, o nome Hugo de Medeiros Viana aparece como tendo sido preso em 2014, no bairro de Tirol, zona Leste de Natal, com 204 comprimidos de ecstasy, cartões de bando em nome de terceiros e dois trituradores de maconha. Ele também teria ameaçado suas tias, pedindo a elas dinheiro – por isso, foi autuado também pela Lei Maria da Penha.
O nome dele também está na relação de presos autuados pelos danos causados em Alcaçuz, em janeiro de 2017 (apesar de, pela Sejuc, ele só ter chegado lá em dezembro desse mesmo ano), quando 26 presos morreram. “Playboy” teria sido autuado com outros 26 detentos pelo porte irregular de arma de fogo de uso permitido, dano qualificado, apologia ao crime, associação criminosa, resistência e motim de presos.
Tecnologia do Blogger.