SEXO E DESTINO: Viúva tinha apólice de R$ 50 mil e admitiu caso com acusado em morte de advogado

Por volta das 10h30 da segunda-feira (23), uma equipe de policiais civis bateu no portão amarelo-musgo de um residência do bairro Liberdade, em Parnamirim.

Estava com a missão de comunicar à família do advogado Rubens de Azevedo Maia, 67, que havia um desfecho para o sequestro ocorrido na noite anterior, pois Rubens havia sido encontrado morto em estrada carroçável em Pium, com vários tiros no corpo.
Assim que comunicaram os fatos, os policiais entraram em alerta. Nenhum familiar chorava. E, apesar da queixa de sequestro, o filho de 13 anos dormia e ninguém fez menção em acordar para lhe avisar que o pai havia sido assassinado.
“Eles pareciam conformados”, declarou um dos agentes da Polícia Civil, segundo consta no inquérito do caso que levou nesta quinta-feira à prisão preventiva da viúva de Rubens, Vanusia Vicente.
O BlogdoBG teve acesso à integra da investigação, que segue a linha de inquérito pela qual Vanusia e um amante, Ivanildo Félix dos Santos, são responsáveis pela morte de Rubens.
Muito do que já se tem foi obtido através da análise de comunicações via WhatsApp entre a viúva e o amante e o depoimento de um filho que Rubens teve em outra relação.
O rapaz, de 26 anos, indicou que ele e sua irmão, mais a viúva ora apontada como envolvida na morte do marido, eram assegurados de uma ápolice de R$ 100 mil para o caso da morte de Rubens. A parte de Vanusia seria de R$ 50 mil. O advogado ainda tinha outros bens imóveis e uma aposentadoria de R$ 10 mil.
A maior parte dos bens já estava em nome de Vanusia, segundo afirmou à polícia o filho de Rubens. A suspeita admitiu em depoimento o caso extraconjugal com Ivanildo, mas negou participação no crime.
Seu depoimento ocorreu ainda na segunda-feira (23). Ela chegou a ser presa em flagrante mas solta em audiência de custódia depois que o delegado Robson da Câmara Bulhões vislumbrou elementos indiciatórios da participação dela.
Vanusia, para a polícia, sabia que Ivanildo ameaçara Rubens. Os dois homens se desentenderam quando Rubens achou no telefone de Vanusia mensagens do amante.
“Diante de todas as declarações da conduzida, ficou claro e evidente que a mesma tinha plena consciência de que a vítima seria assassinada por Ivanildo, nada tendo feito a respeito”, descreve o texto policial.
Tecnologia do Blogger.