Sangue em viatura da guarda municipal é de pedreiro que sumiu

José Renildo Cassimiro da Silva, de 26 anos, desapareceu depois de ser levado por guardas municipais. Fotos: Divulgação

Exame de DNA confirmou que o sangue encontrado dentro da viatura da guarda municipal de Campo Alegre, em Alagoas, é do pedreiro José Renildo Cassimiro da Silva, de 26 anos. Ele sumiu há dois meses depois de uma abordagem considerada truculenta e que foi filmada e divulgada nas redes sociais. O corpo ainda não foi encontrado. Devido ao tempo de sumiço, a Polícia Civil já investiga o caso como suposto homicídio.

O resultado foi divulgado pela Perícia Oficial de Alagoas na manhã desta segunda-feira (9). O material genético para confrontar com o do pedreiro foi recolhido pela mucosa oral dos dois filhos deles, porque não havia amostra de sangue de Renildo.
As amostras dos filhos, um menino e uma menina, foram inicialmente confrontadas separadamente com o material encontrado e recolhido em uma estrada vicinal. Em seguida a perícia extraiu o sangue do estofado retirado da porta do veículo Hillux de placa ORM–9675, da Guarda municipal de Campo Alegre/AL para realizar o mesmo exame. A probabilidade de acerto, de acordo com a perícia, foi de 99,99%
Cinco dias depois do desaparecimento do pedreiro, uma perícia realizada em uma estrada vicinal do município recolheu o material biológico e estilhaços de vidros compatíveis com o da porta traseira da viatura da guarda que foi quebrada.
A poucos metros desse mesmo local, também foram encontradas marcas de pneumáticos compatíveis com o pneu do veículo usado pelos guardas no dia da abordagem. Um novo exame realizado na viatura da guarda de Campo Alegre identificou manchas de sangue no interior do veículo que teria sido usado no desaparecimento do pedreiro.
Todos os laudos do Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística relacionados a esse caso foram encaminhados para o 75º Distrito Policial de Campo Alegre que investiga o desaparecimento de Renildo Cassimiro
O caso veio à tona após imagens que mostram a ação dos guardas terem sido divulgadas. O pedreiro, que estava em uma bicicleta, foi colocado dentro da viatura, de forma agressiva, pelos funcionários. Os suspeitos, que já possuem mandados de prisão em aberto são Carlos Eduardo Avelino da Silva  e Marcelo Misael dos Santos. Eles aparecem no vídeo e foram os últimos que tiveram contato com o pedreiro antes do sumiço.
Tecnologia do Blogger.