O IBGE divulgou hoje o resultado de novembro da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) COVID19.




O número de potiguares rigorosamente isolados chegou a 405 mil em novembro. Em julho, quando a pesquisa iniciou essa investigação, eram cerca de 1.078.000 de pessoas. Em cinco meses, houve uma queda de 62,4% na adesão deste tipo de isolamento.

Esse é um dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) COVID19 para novembro de 2020, o último deste levantamento. No período analisado, em todos os meses houve reduções seguidas no número de cidadãos rigorosamente isolados.



Por outro lado, o número de pessoas que “reduziram contato pessoal, mas continuam saindo de casa e/ou recebendo visitas” cresceu 80% entre julho e novembro. Em julho, eram 915 mil. Em novembro, cerca de 1.655.000 de potiguares adotaram esse comportamento. As “saídas” de casa incluem trabalho ou atividades não essenciais.


A quantidade de pessoas do grupo que “não fez restrições” de contatos pessoais e os que “ficaram em casa e só saíram por necessidade básica” permaneceu estável na comparação com o outubro. A tendência é semelhante no Brasil.


Média de auxílios emergenciais no RN cai 18% em novembro


A média de auxílios emergenciais relacionados ao novo coronavírus caiu 18,7% em novembro no Rio Grande do Norte. Em outubro, a média de rendimento recebida pelos domicílios era de R$ 602. Em novembro, caiu para R$ 491. Essa é a segunda queda seguida, um movimento que ocorre em todo Brasil.


Com isso, o Rio Grande do Norte fica com a terceira menor média do Brasil, em novembro, ao lado de Pernambuco (R$ 491) e Bahia (R$ 491). Apenas Mato Grosso (R$ 488) e Paraíba (R$ 487) apresentam resultados inferiores no mês.


A PNAD COVID19 capta o rendimento de todos auxílios emergenciais governamentais relacionados ao coronavírus. Um exemplo é o Auxílio Emergencial do governo Federal, pago por meio da Caixa Econômica Federal, mas também o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda pago a trabalhadores com contratos suspensos, jornada reduzida ou com contratos intermitentes. Auxílios pagos por municípios e estados também entram nessa conta.


Trabalho

Os principais indicadores de trabalho permaneceram estáveis em comparação a outubro. A taxa de desocupação foi de 16,8% em novembro, o que representa 243 mil pessoas em busca de um trabalho formal ou informal. A taxa de informalidade está 38,2% no mês. Os subutilizados (desocupados e pessoas que não procuraram trabalho por conta da pandemia ou por falta de trabalho na localidade, mas que gostariam de trabalhar) são 566 mil no Rio Grande do Norte.


RN tem a terceira maior testagem do Nordeste

No Rio Grande do Norte, 13,3% da população realizou algum teste para saber se estava infectada por covid-19 desde o início da pandemia. Isso representa 471 mil pessoas. Em outubro, eram 419 mil, o que equivalia a 11,8% dos norte-rio-grandenses.


Com esse resultado, o estado potiguar tem o terceiro maior percentual do Nordeste ao lado da Bahia (13,3%) e Paraíba (13,4%). Somente Piauí (20,6%) e Sergipe (14,7%) possuem percentual de testagem mais altos na região.


No Brasil, a média de testagem da população é de 13,5%. A pesquisa conta com testagens de qualquer origem, seja ela em rede pública, instituição privada ou de iniciativa individual.


Encerramento


Com a divulgação dos resultados de novembro de 2020, o IBGE encerra as atividades da PNAD COVID19. Criada especialmente para o período da pandemia, a previsão inicial de duração da pesquisa seria de cerca de quatro meses, mas foi estendida por sete.


O levantamento foi desenhado com um painel fixo de domicílios. Isso significa que todos os meses, pessoas dos mesmos domicílios respondiam o questionário via ligação telefônica, o que gerou cansaço dos informantes. Além disso, a força de trabalho utilizada na pesquisa está redirecionado para os preparativos do Censo Demográfico 2021.



Integrante das Estatísticas Experimentais, a PNAD COVID19 possibilitou “acompanhar a evolução dos efeitos da pandemia sobre o mercado de trabalho e a saúde da população de forma rápida. Isso foi algo que o IBGE nunca tinha feito com uma pesquisa domiciliar”,disse Maria Lúcia Vieira, coordenadora nacional da pesquisa.



A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua permanece como pesquisa oficial sobre mercado de trabalho brasileiro e com divulgação trimestral de resultados para os estados.
Tecnologia do Blogger.