Coronavac a mais recusada pela população

 

Pelo menos 70,1% dos municípios brasileiros registram casos de pessoas que querem escolher a marca da vacina contra a Covid-19 antes de receber a dose do imunizante, de acordo com um levantamento divulgado pela Confederação Nacional de Municípios (CMN). O estudo obtido pela CNN ouviu 2520 prefeitos em todo o país e foi realizado entre segunda-feira e quarta-feira (05 a 08).



Entre as cidades que responderam à pesquisa, foi apontado que o imunizante Coronavac foi o mais recusado pela população, com 53,1% de rejeição. Em seguida, aparecem a vacina da AstraZeneca, com 40,1%, o imunizante da Janssen, com 3,8% e, por fim, a vacina da Pfizer, com 3%.



Em mais da metade desses municípios, a pessoa que tenta escolher a dose é informada nos postos de saúde que não há como selecionar uma marca e é aplicado o imunizante previamente definido. Já em 33,8% das cidades, o “sommelier” perde a prioridade na vacina.


Enquanto isso, cerca de 13% dos municípios pedem que o cidadão retorne quando a vacina específica for recebida pelo posto de vacinação. E, em menos de 1% das cidades a escolha do imunizante é acatada.



O levantamento também destaca que ainda há pessoas que se recusam a receber qualquer tipo de dose contra a Covid-19. Mais de 70% das cidades registram casos de cidadãos que, sem hesitar, não desejam se imunizar contra a doença.


Terra Brasil Notícias

Tecnologia do Blogger.