Reino Unido retira obrigação de uso de máscaras

 

O governo do Reino Unido anunciou neste domingo (18) que as medidas de restrição contra a Covid-19 serão suspensas a partir desta segunda-feira (19). O dia tem sido chamado pelos britânicos de “Freedom Day” (Dia da Liberdade, em português).


O uso de máscaras não será mais obrigatório e não haverá mais limite para o número de pessoas que podem se reunir em ambientes internos ou externos. O distanciamento social será limitado a pessoas com teste positivo para o vírus.


A decisão, que seria implementada há quatro semanas, sofreu adiamentos com o objetivo de ampliar o público vacinado. Nesse período, 8 milhões de pessoas foram imunizadas. Mais de dois terços dos adultos britânicos estão completamente vacinados.


O primeiro-ministro Boris Johnson está em isolamento após contato com uma pessoa infectada, segundo comunicado do governo divulgado neste domingo. Johnson permanecerá afastado até o dia 26 de julho.


O fim das restrições será acompanhado de cinco medidas:



As restrições serão substituídas por orientações para que as pessoas possam tomar as próprias decisões em relação às medidas de proteção contra o vírus.


O intervalo entre as doses das vacinas aplicadas no país será reduzido de 12 para 8 semanas.


O governo manterá o sistema de testagem, rastreio de contato e isolamento para infectados. 


De acordo com as orientações, até 16 de agosto, as pessoas que tiveram contato com um caso positivo precisarão se isolar também. 


Após a data, quem estiver completamente imunizado fica livre da medida.


O controle da entrada de viajantes na fronteira será mantido com as mesmas regras atuais, que incluem medidas de quarentena.


Os dados epidemiológicos serão monitorados e medidas de contingência podem vir a ser adotadas em caso de necessidade, mas restrições serão evitadas se possível, segundo o governo.


O primeiro-ministro Boris Johnson fez um alerta para que todos os adultos que ainda não receberam a primeira ou a segunda dose da vacina busquem a imunização, como medida de proteção individual e coletiva.


De acordo com o governo, a preocupação se volta para os jovens adultos, que podem impulsionar a transmissão da doença. 


Todos os adultos maiores de 18 anos podem realizar o agendamento e quase 60% dos menores de 25 anos receberam pelo menos uma dose. 


O governo considera, ainda, que os casos possam continuar aumentando. No entanto, afirma que a campanha de vacinação reduziu significativamente os casos de hospitalização e morte pela doença.

CNN Brasil
Tecnologia do Blogger.