Caso Pollyana: Irmã e cunhado da vítima são presos Fonte: Blog do Gustavo Negreiros

 


A Polícia Civil prendeu hoje (17) três pessoas suspeitas de envolvimento na morte da comerciante Pollyana Natalusca, de 22 anos. Dentre os presos, estão a irmã e o cunhado da vítima, além de um policial militar do 4º Batalhão. O trio teria mandado matar a jovem, para não ter que dividir uma herança estimada em R$ 2 milhões. 



Pollyana foi assassinada dentro de uma loja na avenida Boa Sorte, no bairro Nossa Senhora da Apresentação, Zona Norte de Natal, no dia 18 de maio. A herança incluiria casas, apartamentos, pontos comerciais, veículos, terrenos e granjas. 



Ainda no mês de julho a Polícia prendeu outros três suspeitos. Naquela ocasião os homens presos são apontados como os autores de fato do crime, sendo um deles o atirador que matou a comerciante, outro o condutor, e o terceiro seria o dono da motocicleta utilizada no crime.



Hoje, a Polícia Civil não divulgou o nome da irmã, nem do cunhado, nem do PM presos. 


História


Pollyana Natalusca é filha biológica da assistente de cozinha Gilvanete Fernandes. Quando tinha um ano de idade, ela foi adotada por Pedro Soares de Medeiros e Márcia Maria da Costa, um casal de comerciantes que construiu patrimônio na cidade de Extremoz, Região Metropolitana de Natal. Pedro e Márcia faleceram entre 2009 e 2011 vítimas da diabetes e deixaram uma herança a ser dividida entre as duas filhas biológicas e a adotiva, Pollyana. 


Fonte: Blog do Gustavo Negreiros

Tecnologia do Blogger.